quarta-feira, 12 de junho de 2013

Em Pares

12 de Junho, o Dia dos Namorados. Amásia, como bom blog literário que é, fez uma atividade relacionada à data comemorativa! Uhul! Escolhemos nossos casais literários preferidos e vamos aqui defender seu direito de amar e convencer a você, caro leitor, que o amor deles é lindo, é sério, é necessário e merece ser tão comemorado quanto o meu, o seu e o nosso. Afinal, já que a gente não tem um motivo real pra comemorar o dia de hoje, que celebremos pelos nossos personagens!

Suzannah Simon e Jesse de Silva (A Mediadora - Meg Cabot)


A Mediadora é uma série sobre uma garota que tem o poder da mediunidade. Suzannah se muda para a Califórnia para morar com a nova família de sua mãe e, ao entrar em seu novo quarto se depara com Jesse de Silva, o espírito de um latino lindo e fofo.

Logo Suzannah e Jesse se tornam amigos e ele passa ajudar a companheira de quarto em suas missões mediúnicas.
Sério, como não se apaixonar por um latino lindo e fofo que se senta na janela do seu quarto e te chama de “mi hermosa”? Não preciso falar que Jesse de Silva foi uma das minhas primeiras paixões literárias, né?
No Leitura Compulsiva você encontra a sinopse de cada um dos livros da série e o link para download.




Julián e Verónica (A Vida Privada das Árvores – Alejandro Zambra)

No segundo livro de Zambra publicado no Brasil conhecemos a história de um casal chileno recontada por Julián, que está à espera de sua esposa. 
Trata-se, acima de tudo, da paciência que os relacionamentos exigem, bem como a aceitação do outro como ele é. 
A sinopse do livro você pode ler no site da Cosac Naify
(Ah, Alejandro Zambra deve ganhar uma edição em Amásia muito em breve!)


Rony e Hermione (Harry Potter)

Eu sei que esse é um romance pra lá de manjado, mas não tem como não achar absurdamente lindo! É fantástico ver o desenvolvimento da relação deles ao longo da série, afinal são seis livros grossíssimos, com direito a inúmeras crises de ciúmes e brigas e namorados aleatórios intrometidos até que finalmente eles percebam que o amor verdadeiro estava ali, do lado um do outro e eles insistiam em não enxergar. Rony e Hermione são os opostos que se atraem e se completam, aqueles que de tão amigos você sabe que serão realmente felizes para sempre. É um daqueles casal que a gente fica feliz por J.K. ter mantido intacto.


Mikael Blomksvit e Lisbeth Salander (Millennium - trilogia)

Um jornalista engomadinho e uma punk nerd. Eles não têm absolutamente nada a ver, mas é impossível ler os livros sem ficar torcendo pra que eles finalmente fiquem juntos. Não que a gente queira que eles casem, porque, né, Lisbeth não pode casar porque ela é feita pra ser um espírito livre, mas é muito legal o senso de proteção que um tem pelo outro. O nível de amor deles é tão grande, profundo e maduro que eles não precisam passar 24h juntos pra saberem disso. Eles conseguiriam manter um relacionamento aberto e estável, com a certeza de que quando houver um cara de dois metros querendo te matar o outro vai estar ao teu lado pra te salvar. Mesmo que você tenha, de fato, feito algo errado. E, bem, são atitudes assim que provam a existência de um amor de verdade, real e bonito. 

E fica a pergunta: quem precisa de um amor de verdade quando a gente pode respirar esses romances literários? (brincadeira, amores de verdade são mais que bons, eu sei, mas a gente se diverte com o que tem - já dizia o Chorão, rs)



Um comentário:

  1. Parabéns pelo blog, meninas! Achei muito interessante a ideia. Vocês conseguem passar o prazer da leitura e incentivá-la... me deu vontade de fechar o notebook e abrir um livro rsrs
    abrçs

    ResponderExcluir